sexta-feira, 19 de maio de 2017

É TEMPO DE TESTES

A convocação para os amistosos de Julho na Austrália teve algumas repercussões negativas especialmente por parte da torcida da SE Palmeiras. Nenhum jogador do Campeão Brasileiro de 2016 foi convocado. Tite preferiu testar jogadores que já estiveram na Seleção em várias ocasiões (David Luiz, Thiago Silva, Alex Sandro e Taison) e optou pelo retorno de Gabriel Jesus. Em se tratando de amistosos contra a Argentina e Austrália dias 9 e 13 até é compreensível à ausência de jogadores considerados titulares. Especula-se que o goleiro Alisson ficou de fora por não atravessar bom momento.

Chama a atenção a ausência de jogadores do Palmeiras como também do Atlético Mineiro e do Flamengo. Seja lá como for que Tite entenda mesmo os amistosos para testar jogadores. E que não se tenha nenhuma decepção depois da brilhante trajetória brasileira nas Eliminatórias da Copa do Mundo que garantiram nossa presença na Rússia. É isso aí.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

OS PORQUÊS DO NOSSO FUTEBOL!


Porque os clubes brasileiros enfrentam tanta turbulência de jogo para jogo. Seria o excesso de partidas, contusões, ausência de jogadores mais qualificados ou treinadores.

Ontem a SE Palmeiras demitiu Eduardo Baptista. Sua saída já era esperada pelos altos e baixos que o elenco milionário apresenta. Seria ele o único culpado?

Analisando o comportamento dos times no momento chego a várias conclusões: a) – faltam jogadores com mais qualidade; b) – faltam treinadores; c) – falta futebol de coletivo e jogadas ensaiadas.
Nada acrescenta um grande número de jogadores quando há pouca qualidade. Excesso de jogadores também atrapalha os treinadores. 

As modificações constantes por contusões, jogadores que não correspondem e ausência de treinadores qualificados parece ser o grande problema do nosso futebol.

Hoje quem dá as cartas são os empresários. Jogadores e treinadores só são aceitos através da indicação deles e nem sempre dão certo. E dá no que dá. É isso aí.

domingo, 30 de abril de 2017

quinta-feira, 13 de abril de 2017

DO RÁDIO PRA TV!


Sou questionado quase todos os dias: Edemar o que a televisão tem que o rádio não tem? IMAGEM. Sim porque os noticiários que antes os brasileiros acompanhavam pelo rádio hoje essas informações são apresentadas com imagem.
Os grandes programas de auditório do rádio foram integralmente copiados pela televisão. E a maioria dos apresentadores da televisão veio do rádio.
Também nas transmissões e programas esportivos a televisão copiou “ipsis litteris” o que o rádio sempre fez. A diferença está na imagem. Elas servem para tirar a emoção dos jogos que só o rádio pode dar.Hoje o rádio pode ser ouvido em qualquer lugar do mundo pela internet a aplicativos.
Antes os erros de arbitragens, os gols, as jogadas violentas serviam para que as discussões e os comentários entre os torcedores se estendessem por toda semana. Hoje até isso pouco se vê na roda do cafezinho.
Atualmente quando um jogo termina o assunto já gira em torno do próximo. O formato dos programas esportivos com noticiário dos clubes, entrevistas, comentários dos jogos e reprise dos gols foi copiado do rádio. Sem por nem tirar. Mas, uma coisa jamais baterá o rádio; a narração. Desculpem-me os colegas, mas acho que com 53 anos de narração esportiva no rádio e também na televisão posso analisar de cadeira. A maioria das transmissões não dá pra aguentar pelos exageros cometidos de números, estatísticas e às vezes querendo convencer o telespectador a mudar de opinião sobre a imagem que ele viu. É por isso que o torcedor abaixa ou tira o volume da televisão, vê o jogo pela televisão ouvindo o rádio. A emoção de uma narração esportiva pelo rádio é incomparável. Não as palhaçadas, piadas sem nexo e pornografias de que algumas rádios se valem para ganhar audiência dos jovens especialmente. Falo das que tem narradores que narram e que transmitem emoção. É isso aí.

É MUITA BOLA ROLANDO!

Os tempos são outros, os objetivos são outros, as necessidades são outras e a bola não para de rolar. Jogos as quartas, sábados e domingos é coisa do passado. Hoje a bola rola todos os dias, de segunda a segunda. Será que existe alguém que tem saco para ver todos os jogos? E porque hoje é assim? É fácil explicar. Hoje os clubes dependem das verbas destinadas pelas empresas de televisão que compram os direitos das competições. E os canais esportivos precisam de jogos pra preencher o espaço. Com isso você liga a televisão a cabo e assiste jogos a qualquer hora – ao vivo ou reprise -. Lembro os anos 80 quando raramente as partidas eram mostradas ao vivo. A mídia televisiva achou o caminho pra faturar bilhões anualmente por conta da compra de direitos e comercialização das partidas a partir dos anos 90. Antes eram raros os jogos televisionados ao vivo. Lembro que nos anos 70 a TV Gazeta reprisava partidas do Campeonato Paulista aos domingos, mesmo que o jogo tivesse terminado em zero a zero. Entendo que os jogos e as transmissões ajudam os clubes financeiramente, mas convenhamos, tem bola demais rolando. É isso aí.   

sexta-feira, 24 de março de 2017

TITE... QUEM DIRIA



Em Março de 2016 nosso futebol estava desacreditado. Nossa seleção empatando com Uruguai e Paraguai em dois gols acabou sofrendo uma metamorfose que ninguém esperava. Adenor Leonardo Bachi, 55 anos foi chamado para substituir Dunga e a partir de então a Seleção Brasileira não perdeu mais. Foram 7 jogos nas Eliminatórias, 7 vitórias, 20 gols marcados e apenas 2 sofridos. Como se explica se a maioria dos jogadores que foram utilizados por Dunga continua jogando. Seria um milagre? O que aconteceu? Tite é um mágico? Não. Tite é um vencedor que confirma mais uma vez que nem sempre um grande jogador se transforma num grande treinador. Tite foi um jogador médio que teve sua carreira interrompida aos 28 anos por conta de uma contusão grave. Como treinador surgiu no Guarani de Garibaldi no Rio Grande do Sul em 1990. De lá para cá dirigiu 13 equipes e agora a Seleção Brasileira. Conquistou títulos e mais títulos. O primeiro em 2000 com o Caxias no Campeonato Gaúcho. Em 2001 ganhou a Copa do Brasil com o Grêmio. Quatro vezes campeão gaúcho com Veranópolis na segunda divisão, Caxias, Grêmio e Internacional na primeira. Ganhou a Copa do Brasil com o Grêmio em 2001; e foi conquistando Copa Sul-americana, Campeonato Brasileiro, Paulista, Copa Suruga, Libertadores, Recopa Sul-americana e Mundial de Clubes. Currículo maravilhoso para um treinador que começou na profissão aos 27 anos. Isso tudo pra dizer que Tite como num passe de mágica transformou uma seleção comprometida, em uma seleção vencedora e com vaga garantida para o Mundial da Rússia. O futebol brasileiro ressurge das cinzas e deve a ele a recuperação depois do desastre de 2014. Jogadores antes contestados readquiriram a confiança e o Brasil torna-se um sério candidato à conquista de 2018. É isso aí.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

TÉCNICOS, JOGADORES E DIRIGENTES


Afinal quais são os problemas do futebol no Brasil? Técnicos, jogadores, ou dirigentes? Um assunto pra ser colocado em discussão para quem acompanha nosso futebol. Vejo a situação cada vez pior. A falta de qualidade é flagrante dentro e fora de campo. Treinadores ultrapassados, treinadores da nova geração ainda por aprender muito e jogadores cada vez com menos qualidade. E as pré-temporadas pelo visto pouco acrescentam. Os times em sua maioria não têm jogadas ensaiadas, não tem esquemas táticos e o condicionamento físico tem deixando muito a desejar. Isso dá a entender que a pré-temporada no futebol é mal feita. As constantes mudanças nas escalações das equipes – de jogo pra jogo – só serve para não dar conjunto aos times. Não se pode esquecer às más administrações dos clubes na contratação de técnicos e jogadores. Salários fora dos orçamentos e da realidade. E o torcedor? O torcedor que não é bobo prefere ficar em casa comprando pay per view dos jogos. Nosso futebol está em declínio cada vez maior. Com isso as grandes empresas vão se afastando de investimentos publicitários. Confesso que temo pelo futuro do nosso futebol. É isso aí.


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

SERÁ QUE VAI MUDAR?

Vamos deixar de lado essa de que estamos em começo de temporada. Muitos jogadores ainda não reúnem seu melhor condicionamento físico, mas o que salta aos olhos mesmo é a falta de qualidade. Sejamos honestos conosco mesmo; o futebol brasileiro não tem muita qualidade neste começo de ano. Os grandes clubes reforçaram seus elencos e gastaram e continuam gastando muito dinheiro graças aos patrocinadores. A maioria dos clubes tem feito contratações de acordo com a realidade financeira. Tenho transmitido e acompanhado jogos (ainda) pelos mais diferentes campeonatos. No Exterior estão os melhores do mundo e aqui a volta de brasileiros e a contratação de argentinos, equatorianos, chilenos, colombianos, peruanos, paraguaios e venezuelanos virou rotina. Sem falar da volta dos que estavam na Europa, Países Árabes e China a maioria em fim de carreira. E tem alguns grandes que começaram o ano decepcionando suas torcidas como Grêmio, Internacional, Corinthians, São Paulo, Botafogo, Fluminense e Botafogo só pra citar. Torço para que possam me desmentir ao longo das competições. É isso aí.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e textoOuça hoje a estréia das Transmissões Esportivas na CBN CURITIBA - AM670 - com a transmissão de Atlético Paranaense x Peñarol (Edilson de Souza, Eduardo Vieira, Henrique Giglio), Paraná Clube e Avaí (Manoel Fernandes) às 20 horas e Brasil vs. Colômbia (Edemar Annuseck, José Domingos e Biro-Biro) às 22 horas, Ouça pela internet acessando... CLIQUE AQUI OUÇA O PROGRAMA ESPORTIVO E JOGOS no site cbncuritiba.com
(*) - O aplicativo da RÁDIO CBN CURITIBA - AM670 -poderá ser configurado nos próximos dias.


terça-feira, 17 de janeiro de 2017

É HORA DE ACORDAR!

O futebol brasileiro já passou dos limites. Já temos mais de 100 jogadores estrangeiros atuando no país. Quando isso aconteceu antes? Nunca. A fragilidade dos clubes está levando nosso futebol a estar cada vez mais endividado. Os grandes investimentos no futebol já estão sendo questionados até pela China. As contratações milionárias do futebol chinês já estão sendo questionadas pelas autoridades daquele país. Esse atual “Eldorado” do futebol mundial pelo visto não vai durar muito tempo. Jogadores brasileiros que foram tentados pelos milhões estão retornando. Mas, o problema mesmo está por aqui. Não existe condição de se pagar o que determinados clubes pagam. Do jeito que a coisa os clubes vão ficar cada vez mais endividados. Nosso futebol precisa passar por uma reestruturação completa. Não existem condições de se pagar mais do que 200 mil reais para os que atuam em nosso país. As publicidades sumiram e as cotas da televisão já não atendem mais as necessidades dos clubes. É hora de parar para pensar e repensar nosso futebol, enquanto há tempo. Cuidado porque "numa dessas a casa cai". É isso aí.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

FUTEBOL... FUTEBOL... FUTEBOL...

Chegamos ao final do ano com poucas alegrias e muitas tristezas no futebol. A conquista da SE Palmeiras depois de 22 anos mereceu as manchetes pelo ressurgimento de um dos maiores clubes do futebol na liderança desse esporte. A tragédia com a delegação da Associação Chapecoense de Futebol que comoveu o mundo foi à nota mais triste do esporte mais popular em nosso país este ano.

A FIFA projeta um Campeonato Mundial de Futebol com 40 países na chamada Fase Final ao invés dos 32 atuais. Seriam 88 jogos em 32 dias a partir de 2026. Ultimamente a qualidade foi deixada de lado no futebol e os interesses voltaram-se inteiramente para o aspecto financeiro.

Com as altas somas pagas aos jogadores – fora da realidade mundial – os clubes, ligas, federações, confederações e a FIFA procuram soluções.
A utilização do vídeo em jogos de futebol testado no Mundial de Clubes no Japão pode ser uma solução, mas, apenas para saber se a bola entrou ou não. Tirar a dúvida quanto às faltas, penalidades, impedimentos e outros lances vão tirar completamente o futebol de sua essência.

Lembro-me de umas três a quatro décadas quando o brilhante Orlando Duarte Figueiredo, o Eclético, meu colega de Jovem Pan e um dos mais consagrados jornalistas brasileiros resolveu enviar uma sugestão a FIFA. Orlando sugeriu a “extinção” do impedimento no futebol. Não houve quórum para a ideia.

O ano termina com muitas contratações, especulações e a chegada de cada vez mais estrangeiros para reforçar nossos times. É isso aí. 

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

RÁDIO ESPORTIVO DE LUTO!

Acaba de falecer a Rádio Globo de Belo Horizonte com a demissão de profissionais em todas as áreas. Grandes profissionais do rádio esportivo de Minas Gerais ganharam um “belo” presente de Natal. E agora o que fazer. Todos sabem que em Minas Gerais quem manda no rádio é a Itatiaia. No futebol tem 90% ou mais da audiência. Em 2014 a Rádio Inconfidência que é do Governo do Estado de Minas Gerais tentou abrir um novo espaço na cobertura do esporte. Contratou Willy Gonser – nome que dispensa comentários – para assumir o esporte. Conseguiu uma boa audiência em seis meses. E aí mudou a direção da emissora e o sonho de competir terminou.

Em São Paulo depois que Jovem Pan, Bandeirantes e CBN dispensaram profissionais qualificados como Claudio Carsughi, Rogério Assis, Luís Carlos Quartarolo, Mauro Betting, Deva Pascovicci entre outros o rádio esportivo ficou mais pobre. E agora está mais pobre ainda com as dispensas de Oswaldo Pascoal, Maércio Ramos, Jesse Nascimento na Globo São Paulo, Ewaldo José na CBN Rio.

Não é de se estranhar que dentro de pouco tempo o rádio esportivo do Brasil seja enterrado de vez. Muito triste tudo isso que só serve para diminuir cada vez mais o espaço aos grandes profissionais do rádio esportivo. Por essas e outras o ano de 2016 termina de luto no rádio esportivo brasileiro. É isso aÍ.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

HIPOCRISIA E TRISTEZA


O mundo chora a tragédia ocorrida com a Associação Chapecoense de Futebol. Homenagens do Club Atlético Nacional e do governo Colombiano jamais serão esquecidas. A tragédia de Medellin chocou o mundo. Tragédia que jamais será esquecida. Tragédia que enluta a todos nós. Tragédia que abalou o mundo. Tragédia que estava prevista. DEUS marcou a todos nós quando nascemos o dia em que vamos morrer. Coincidentemente marcou para uma só data o desenlace de 71 pessoas. Muito triste. Estamos de luto. Essa dor passa além da nossa imaginação.

Enquanto se buscavam informações sobre a tragédia, na calada da noite, os “CORRUPTOS” da política brasileira se aproveitaram para legislar em causa própria.

E no mundo do futebol as infelizes e hipócritas declarações de um dirigente – sempre respeitado – do SC Internacional causaram a mais profunda consternação. Lamentavelmente o mundo está cheio de gente que não respeita a dor alheia. É isso aí.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

PITACOS DA BOLA

Site conmebol.com
A vitória de ontem praticamente garantiu ao Grêmio Porto-Alegrense o título da Copa do Brasil deste ano. Será muito difícil o Atlético Mineiro reverter o quadro até porque o time tricolor pode perder o jogo até por um a zero que será o campeão. Será o quinto título do Grêmio. Ganhou em 1989, 1994, 1997 e 2001. Os três primeiros de forma invicta.

Apesar da queda acentuada na competição a torcida do CR Vasco da Gama vai lotar o Maracanã no sábado no jogo que poderá garantir a volta a Série “A” para 2017. Até ontem já tinham sido vendidos 35 mil ingressos.

Atitude correta do Atlético Paranaense e do Coritiba em ficar fora da próxima edição da Copa da Primeira Liga. A divisão da receita proveniente da venda dos direitos da televisão motivou a retirada dos dois clubes. Os clubes só poderão ser grandes e fortes no contexto nacional se houver uma divisão correta do que for arrecadado. Privilégios já bastam os que ocorrem no Campeonato Brasileiro onde a divisão da receita é completamente anormal. Acho que essa Primeira Liga não vai longe.

A SE Palmeiras com um empate domingo contra a Associação Chapecoense de Futebol poderá conquistar seu nono título. O alviverde paulista venceu a Taça Brasil de 1960 e 1967, o Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1967 e 1969, e os Brasileiros de 1972, 1973, 1993 e 1994.


Site conmebol.com
O futebol catarinense chega pela primeira vez à decisão de uma Copa Sul-Americana com a Associação Chapecoense de Futebol. Brilhante presença do clube de Chapecó, cidade catarinense considerada a capital brasileira da agroindústria e capital catarinense de turismo de negócios. Cidade de 170 mil habitantes, totalmente planejada, e seu traçado é em forma de xadrez. A Chapecoense espera seu adversário que sairá da partida desta noite entre Atlético Nacional da Colômbia e Cerro Porteño do Paraguai. O segundo jogo da decisão terá o mando da Chapecoense que terá que jogar fora de sua cidade pela capacidade reduzida do seu estádio. Esse jogo final poderá ser em Curitiba ou Porto Alegre.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

RESSUCITAMOS

Cinco jogos, cinco vitórias, 16 gols marcados, um gol sofrido. Essa é a nova Seleção Brasileira comandada por Tite. Nosso futebol ressurge no cenário internacional depois da decepção provocada pela Copa do Mundo e os jogos da era Dunga. Como explicar essa mudança repentina? Seria só por causa do Tite ou tem algo mais? O importante de tudo isso é que o susto que rondava nossa possível ausência – pela primeira vez – de uma Copa do Mundo já passou e somos os primeiros na classificação geral. Ganhar sempre é bom ainda mais de Los Hermanos. O triunfo sobre os argentinos mostrou alguns detalhes que merecem ser lembrados. Primeiro: Os platinos tinham mais posse de volta e Biglia obrigou Alisson a fazer uma defesa sensacional evitando a abertura do placar. Quando o Brasil chegou e chutou a gol pela primeira vez Philippe Coutinho abriu o placar. Segundo: antes e depois desse gol os argentinos começaram a praticar o anti-futebol com cotoveladas e faltas violentas. Terceiro: O gol de Neymar aos 45 deixou o time de Edgardo Bauza descontrolado. Quarto: O segundo tempo foi todo brasileiro e o placar de três a zero construído com o gol de Paulinho foi pequeno pra sorte dos argentinos.

Lionel Messi provou mais uma vez que não repete na Seleção Argentina o futebol que o consagrou no FC Barcelona. O futebol já deu vários exemplos ao longo de décadas em que jogadores famosos em seus clubes não eram os mesmos na Seleção.

Neymar está jogando muito. Mais até do que joga no FC Barcelona. Tite é o grande responsável pelo comportamento de Neymar e da maioria dos jogadores que hoje atuam na Seleção Brasileira. Nada de endeusamento de treinador e jogadores, mas precisamos reconhecer a realidade.  É isso aí.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

DE MAL A PIOR!

Acompanho o futebol brasileiro como jornalista e torcedor há décadas. Alertei em 2012 para a falta de qualidade o que com certeza traria prejuízos no Mundial. Não deu outra. Estamos em 2016 e nosso futebol está cada vez perdendo mais a sua qualidade, qualidade que encantou o mundo com cinco conquistas. O Campeonato Brasileiro que vai terminar dia 4 de Dezembro é um exemplo disso.
Grandes times com sérios problemas. Alguns por contratações erradas, outros por liberar no meio da competição jogadores importantes. A realidade está cada vez mais palpável. Os empresários detém o passe dos principais jogadores e o interesse está voltando inteiramente para o exterior. O futebol brasileiro que se dane. O que vale é dinheiro no bolso. É bem assim que acontece com a conveniência dos dirigentes amadores que comandam clubes profissionais de salários fora da realidade brasileira.
Sinceramente não vejo solução em curto prazo. Com todo dinheiro que arrecadam com publicidade e televisão os clubes estão se afundando e afundando o futebol cada vez mais. Pagam muito por pouca qualidade. Só tenho uma preocupação; acho que quando vierem a entender o que está errado, pode ser tarde demais. Aí está o exemplo da Portuguesa de Desportos devendo o “mundo” e a ponto de ter seu maior patrimônio o Estádio Oswaldo Teixeira Duarte colocado em leilão. É isso aí.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

ARBITRAGEM & FUTEBOL


O Campeonato Brasileiro deste ano está provando que com 20 clubes as partidas deixam cada vez mais a desejar. Trocou-se a quantidade pela qualidade. E não é de hoje. No cenário nacional essa realidade é constatada a cada nova rodada. Ademais são muitas competições. Estaduais, Copa do Brasil, Primeira Liga, Campeonato Brasileiro, Copa Libertadores da América, Sul-Americana e também Eliminatórias da Copa do Mundo. E além da má qualidade dos jogos também as arbitragens estão cada vez causando mais polêmica. Os erros de ontem se repetem hoje e com certeza vão se repetir amanhã. São erros e mais erros a cada nova rodada. Com a transmissão dos jogos ao vivo as polêmicas e as reclamações tornaram-se mais evidentes. Confesso que já perdi a conta da quantidade de erros cometidos este ano.

Os dirigentes de clubes insistem em querer a profissionalização das arbitragens. Acho que não será a solução. Parar uma partida para ver a repetição dos lances no monitor da televisão com certeza não vai vingar. No voleibol funciona, mas no futebol não vejo como seria uma solução. A implantação desse sistema, geraria outros problemas. Enfim vivemos a falta de qualidade de jogadores, jogos e das arbitragens no futebol brasileiro. Quem tiver uma solução para isso que apareça. É isso aí.

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

OS EXAGEROS DE SEMPRE



Gente, vamos com calma com o “andor que o santo é de barro”. De repente a Seleção Brasileira é considerada novamente a melhor do mundo. Tite começou muito bem a frente da Seleção com as vitórias que tiraram o pesadelo da não classificação. Mas, convenhamos que estamos longe de restabelecer a qualidade do futebol brasileiro. Vencer o Equador em Quito, a Colômbia em Manaus e ontem a Bolívia em Natal foi muito importante com certeza para resgatar um pouco do que foi perdido ao longo do caminho pelos mandos e desmandos. A falta de uma quantidade maior de jogadores qualificados e tempo para treinamentos continuam sendo os grandes problemas. Nosso futebol estava tão por baixo que o torcedor ainda está esperando da seleção apresentações com mais qualidade. Em verdade o que se observa nas Eliminatórias Sul-Americanas é a decadência de grandes seleções como Argentina e Chile que também enfrentam sérios problemas. A Seleção Brasileira começa a dar mostras de recuperação sim. Mas, vamos deixar de lado os exageros de sempre. É isso aí.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

LIBERTADORES E SUL-AMERICANA MODIFICADAS

O futebol sul-americano terá grandes mudanças para 2017. Em reunião realizada hoje (27) em Assunção o Comité Executivo da Conmebol deu a conhecer que as duas maiores competições entre clubes da América do Sul será diferente no próximo ano.

A mais importante competição entre clubes – COPA LIBERTADORES – terá seu desdoibramento durante toda a temporada de 2017 e a COPA SUL-AMERICANA acontecerá de Junho a Dezembro. A Copa Libertadores que terá 42 semanas em 2017. Este ano foram 27 semanas.

Segundo a Conmebol “As mudanças são resultado de um estudo técnico que a entidade vem realizando há vários meses com consultores especializados e têm o objetivo de potencializar a qualidade do futebol sul-americano".

Alejandro dominguez, presidente da Conmebol declarou que “Por muito tempo os clubes tiveram que escolher entre o campeonato nacional e as copas continentais, e isso afetava a qualidade de ambas as competições. Essa mudança permitirá melhorar o os torneios nacionais, protegerá os jogadores e potencializará a qualidade de jogo nas copas continentais".


PARANAENSE 2017

Arbitral da Federação Paranaense de Futebol decidiu nesta segunda-feira (26) a fórma de disputa do Campeonato de 2017. Abaixo o texto enviado pela FPF para divulgação.

“O Campeonato Paranaense da próxima temporada terá início no dia 29 de janeiro, com a primeira fase se entendendo até 19 de março. Os jogos das quartas de final acontecem nos dias 26 de março e 02 de abril, e a semifinal tem suas partidas nos dias 09 e 16 de abril.

Os jogos da decisão da competição acontecem nos dias 23 e 30 de abril. Já as finais do interior são nos sábados que antecedem as finais do campeonato: 22 e 29 de abril.

Participaram do arbitral, representantes de 11 das 12 equipes que disputarão o Estadual do próximo ano. São elas: Cianorte Futebol Clube (Adir Kist), Clube Atlético Paranaense (Márcio Lara), Coritiba Foot Ball Club (Alex Brasil), Foz do Iguaçu Futebol Clube (Arif Ahmad Osman), J.Malucelli S.A. (Rui Wisniewski), Londrina Esporte Clube  (Sérgio Malucelli), Paraná Clube (Leonardo de Oliveira), PSTC (Renato David), Prudentópolis Futebol Clube (Luiz Carlos Corrêa), Rio Branco Sport Club Thiago Campoa) e Toledo CW (Carlos Alberto Dulaba). A única ausência foi do FC Cascavel (Rubens Mendes dos Santos), mas esta foi justificada.

No arbitral, ficou definido que a competição e 2017 seguirá a fórmula deste ano, com todas as equipes se enfrentando na primeira fase em turno único. Os oito primeiros colocados se classificam para as quartas de final, com jogos de ida e volta, o mesmo acontecendo nas semifinais e finais.As duas equipes com o menor número de pontos durante a primeira fase, descenderão à segunda divisão do Campeonato Paranaense. A disputa do Troféu do Interior também será realizada em dois jogos, nos mesmos finais de semana da disputa do Campeão Paranaense. Da competição, serão classificadas duas equipes para a Série D do Campeonato Brasileiro de 2017”.



domingo, 4 de setembro de 2016

ESPERANÇA QUE SE RENOVA

O povo brasileiro analisa o futebol e vai dos 8 a 80. É o caso da Seleção Brasileira. Iniciou mal os Jogos Rio-2016, foi criticada, organizou-se e ganhou a tão esperada Medalha de Ouro.  A estreia de Tite e a vitória sobre o Equador já levantaram novamente a questão dos oito ou 80. Foi ótimo derrotar o Equador o que não acontecia em Quito desde 2005. O triunfo de quinta-feira já levou o apaixonado torcedor brasileiro novamente ao ufanismo. O trabalho de recuperação com Tite no comando está só começando. Todos precisam entender que ele não teve e não terá muito tempo para colocar em prática a sua filosofia que é no mínimo coisa de médio prazo. Tudo porque a Seleção se apresenta no máximo quatro a cinco dias antes das partidas. De qualquer forma precisamos acreditar e torcer pelo ressurgimento do nosso futebol. Escrevi no dia 19 de Junho “Uma luz no fim do túnel” exatamente sobre a chegada de Tite. Não há muito tempo para treinamentos e tudo acaba terminando mesmo no improviso. Que este improviso dê certo porque treinador experiente a seleção conquistou, agora que venham os triunfos para garantir nossa presença na Rússia em 2018. É isso aí.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

ANOS DOURADOS DO RÁDIO ESPORTIVO


Tive o privilégio que muitos não tiveram em ter atuado em São Paulo, na fase áurea do rádio esportivo entre 1973 a 2009. 

Nesses anos os maiores narradores, comentaristas e repórteres de que se tem notícia estavam em atividade.

Entre eles Pedro Luiz, Darcy Reis, Osmar Santos, Fiori Giglioti, Willy Gonser, Joseval Peixoto, José Silvério, Wilson Fittipaldi, Marco Antônio Mattos, Flávio Araújo, Ênnio Rodrigues, Borghi Junior, José Paulo de Andrade, Nei Costa, Alfredo Orlando, Haroldo Fernandes, Wilson de Freitas, Antônio Rangel, Dirceu Maravilha, Luciano do Valle, Luís César, Mário Garcia, Milton Peruzzi, José Italiano, José Roberto Papacidero, Paulo Soares, Luís Roberto De Múcio, Éder Luis, Oswaldo Maciel, José Carlos Guedes, Wanderlei Ribeiro, Jota Junior, Nilson César, como narradores; Mário Moraes, Mauro Pinheiro, Randal Juliano, Orlando Duarte, Claudio Carsughi, Barbosa Filho, Leônidas da Silva, Otávio Muniz, Carlos Aymar, Milton Camargo, Ávila Machado, José Goes, Luis Augusto Maltoni, Loureiro Junior, Wilson Brasil, Gerson o canhotinha de ouro, Vital Bataglia, Mauro Nóbrega, Paulo Roberto Martins como comentaristas, e, Fausto Silva, Cândido Garcia, Juarez Soares, Lucas Neto, Octávio Pimentel, Marco Antonio, Vitor Moran, Oswaldo Mesquita, Silvio Ruiz, Flávio Adauto, Wanderlei Nogueira, Luís Carlos Quartarolo, José Eduardo Savóia, Azevedo Marques, Ângelo Ananias, Romeu César, Roberto Carmona, Roberto Monteiro, Geraldo Blota, João Bosco Tureta, Henrique Guilherme, João Zanforlin, Roberto Silva, Jota Hávila, Oswaldo dos Santos, Luís Carlos Ribeiro, Reinaldo Simi Jr., Israel Gimpel, Geraldo Pedrosa, Renato Otranto, Oliveira Andrade, Flávio Roberto Alves, José Roberto Ercolin, como repórteres.

Quem fazia futebol

Naqueles anos faziam a cobertura esportiva em São Paulo : Jovem Pan, Excelsior, Bandeirantes, Gazeta, Record, Tupi, Capital, Marconi, Piratininga e América. Hoje estão na ativa Jovem Pan, CBN, Bandeirantes, Globo e Bandeirantes, Transamérica, CBN, 105 em FM.

Grandes comunicadores em outros estados!

No Rio de Janeiro no mesmo período os grandes nomes da comunicação esportiva eram  Waldir Amaral (tem peixe na rede do…) Jorge Curi (placar no PE do Maraca), José Carlos Araújo, Antonio Porto, Luiz Penido e Edson Mauro na Globo; Doalcei Camargo, Oswaldo Moreira (respeitável público), José Cabral (o homem da maricota), Airton Rebelo na Tupi, Clóvis Filho na Continental, Orlando Baptista na Mauá, e os comentaristas João Saldanha, Rui Porto, Luis Mendes, Alberto Rodrigues, Carlos Marcondes; os repórteres Washington Rodrigues, Denis Menezes, Kleber Leite, Ronaldo Castro, Luis Fernando, Eraldo Leite, Danilo Bahia, Sérgio Morais.

O rádio gaúcho cortava o país – pelas ondas curtas – com os narradores Pedro Carneiro Pereira, Armindo Antonio Ranzolin, Milton Ferreti Jung, Mendes Ribeiro, Antonio Carlos Resende, Samuel Souza, Élio Fagundes, Haroldo de Souza, José Aldo Pinheiro; os comentaristas Ruy Carlos Ostermann, Lauro Quadros, Paulo Sérgio Pinto, Edegar Paschoal Schmidt, Wianey Carlet, Paulo Santana, Ênio Mello, Oswaldo Rola (Foguinho); e os repórteres João Carlos Belmonte, Lasier Martins, Lupi Martins, Valtair Santos, Laerte de Francheschi, Luis Carlos Reche, Antonio Carlos Macedo, Waldomiro Morais entre outros. 

No rádio paranaense Airton Cordeiro, Lombardi Junior, Capitão Hidalgo, Carneiro Neto, Wilson Brustolin, Fuad Kalil, Rosilto Portela, Fernando César, Edgard Felipe, Alfredo Ribeiro, Sidnei Campos, Eduvaldo Brasil, Joel Klawa, Oldemar Kramer, Carlos Kleina dos que me recordo.

Os homens do Plantão Esportivo

E não podemos esquecer os profissionais do Plantão Esportivo ou QG de Esportes como Narciso Vernizzi (que criou o Plantão Esportivo Permanente na Jovem Pan; ele ficava o dia inteiro na rádio, informando a  Previsão do Tempo e o esporte), Alexandre Santos e Paulo Edson (Bandeirantes), Silvio Filho (Nacional/Globo), Rui de Moura e Toni José (Gazeta), Manoel Ramos, José Ribeiro e José Roberto Ramos (Tupi), Antonio Augusto (Guaíba) e Oldemar Kramer (Clube Paranaense) que faleceu em 2008 quando completava 50 anos de atividade. E tem o Milton Neves, que começou no Plantão Esportivo da Jovem Pan e a partir de 1982, na final do Mundial (Itália 3 x 1 Alemanha), passou a apresentar o Terceiro Tempo, que transformou em sua agência, e, depois levou para a TV. Aliás, o Terceiro Tempo era um informativo que a Jovem Pan colocava depois do SHOW de RÁDIO, sempre após as Jornadas Esportivas.

Homenagem

Minha homenagem aos profissionais em atividade ou fora dela atualmente, e, in memoriam a Pedro Luiz, Edson Leite, Darcy Reis, Fiori Giglioti, Marco Antonio Matos, Milton Peruzzi, Mário Garcia, José Italiano, Randal Juliano, Barbosa Filho, Leônidas da Silva, Mauro Pinheiro, Mário Moraes, Carlos Aymar, Ávila Machado, José Goes, Antonio Rangel, Manoel Ramos, Enniio Rodrigues, Wilson de Freitas, Luis Augusto Maltoni, Loureiro Junior, Wilson Brasil, Antonio Sola, Cândido Garcia, Azevedo Marques, Roberto Silva, Oswaldo dos Santos, Rui de Moura, Waldir Amaral, Jorge Curi, Luisa Mendes, Antonio Porto, Oswaldo Moreira, João Saldanha, Mário Vianna, Rui Porto, Alberto Rodrigues (comentarista), Danilo Bahia, Pedro Carneiro Pereira (Rádio Guaíba), Oswaldo Faria (Rádio Itatiaia), J.Junior (Inconfidência-BH), Vilibaldo Alves (Itatiaia/Capital-BH), Olavo Leite Bastos-Kafunga-(Itatiaia), Carlos César Franco Gomes –Pingüim- (Itatiaia), Ivan Lima(Clube/Jornal-PE), Jaime Cisneros (Clube-PE) e Lombardi Junior que fizeram parte dos Anos Dourados do Rádio Esportivo Brasileiro.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

COMO SERÁ O AMANHÃ?

A Seleção Brasileira terá jogo decisivo na noite desta quarta-feira contra a Dinamarca nos Jogos Olímpicos. Os empates em zero com África do Sul e Iraque movimentaram as Redes Sociais como nunca. Todos detonando a seleção e especialmente Neymar em que todos depositavam a esperança de um bom futebol. Isso não aconteceu. Neymar teve presença destacada na Copa das Confederações de 2013 vencida pelo Brasil. Nem antes e nem depois foi o mesmo jogador que se vê em campo defendendo o Barcelona. Já tem gente questionando: será que ele é só jogador de time e não de seleção? Neste momento é bom ficar de lado todos esses questionamentos porque se o Brasil não passar para a próxima fase o vexame será grande, muito parecido ou talvez até pior do que aquele da Copa do Mundo. E a minha preocupação vai além. Será que Tite terá tempo hábil para colocar em campo contra Equador em Quito e Colômbia em Manaus nas Eliminatórias para a Copa do Mundo uma equipe vencedora? A eliminação dos Jogos Olímpicos poderá afetar o time que vai disputar as Eliminatórias? Vivemos uma situação preocupante com o futuro do nosso futebol. Oxalá o pesadelo não aumente amanhã. É isso aí.

quinta-feira, 14 de julho de 2016

O FUTEBOL DE HOJE

A eliminação do São Paulo FC - último dos cinco clubes brasileiros – na Copa Libertadores da América provocou os mais diferentes comentários dos torcedores a favor e contra. A organização dos jogos, os estádios modernos com excelentes acomodações e gramados de alto nível são mudanças que se tornaram necessárias até pelas exigências da televisão. Na contramão de tudo isso o futebol praticado também mudou e a opinião do torcedor também. A falta de qualidade também mudou a análise do torcedor. Torcer pelo clube do coração deu lugar ao “fanatismo”.  Pela carência de jogadores de nível o futebol mudou demais – e pra pior – dentro e fora de campo. O futebol virou produto de consumo, nada mais que isso. A decisão da Eurocopa e em jogos recentes de competições nacionais e internacionais o que mais se vê são maratonistas correndo atrás da bola, com pouca qualidade. É isso aí.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

AS LIÇÕES DA EUROCOPA


A EURO2016 mostrou a realidade do futebol mundial. A competição organizada pela UEFA deveria servir de exemplo para a Copa do Mundo promovida pela FIFA de quatro em quatro anos. Com vinte e quatro (24) países como na Eurocopa o Mundial da FIFA com certeza teria muito mais qualidade. Infelizmente o que fala mais alto hoje são os contratos milionários de publicidade. O futebol está em segundo plano. Hoje o futebol depende da publicidade pelo elevado custo que demanda. Aqui no Brasil já teremos competições mais enxutas no próximo ano. O Campeonato Paulista reduzido a 16 equipes dará o tiro de largada para que se tenha mais qualidade.

Outro ponto que chamou a atenção foi à forma como Portugal ganhou a EUROCOPA. A partir da saída de Cristiano Ronaldo, aos 25 minutos do primeiro tempo os lusitanos passaram a jogar o chamado futebol “association”. Jogar em função da maior estrela de uma equipe já não cabe mais no futebol. Portugal deu o exemplo que outros países também já mostraram. Como os “gênios” da bola – eu disse gênios – já não existem mais o futebol precisa ser jogado coletivamente. Seria muito bom que os treinadores pensassem dessa forma. Oxalá essa filosofia seja utilizada por Tite para a redenção da Seleção Brasileira. É isso aí.

quinta-feira, 30 de junho de 2016

O TOBOGÃ DO PACAEMBU

Não ando muito inspirado para escrever ultimamente. Com mais de 3.200 materias publicadas desde que criei este blog resolvi revisar algumas matérias. Uma das publicações que merece ser reprisada diz respeito ao Tobogã do Pacaembu. Por isso tomo a liberdade de publica-lá novamente até por que muitos jovens não conhecem a história do Estádio Paulo Machado de Carvalho e por extensão do Tobogã. Boa leitura 


Quem nunca esteve no Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu) talvez não saiba o que é o “Tobogã”. O estádio inaugurado em 27 de Abril de 1940 e prestes a completar 70 anos teve sua arquitetura modificada no governo Paulo Maluf em 1970 com a demolição da Concha Acústica e a construção do “Tobogã”, uma arquibancada com capacidade para 15 mil pessoas.

Concha Acústica
Essa obra foi erguida em 1958 em homenagem aos Campeões do Mundo da Suécia. Foi demolida em 1970 após a conquista do tricampeonato mundial no México. Na foto um lance de Pelé contra Gilmar no clássico Corinthians e Santos aparecendo ao fundo a Concha Acústica. Nela lia-se a inscrição: "Salve os Campeões do Mundo".

Capacidade
Na época o estádio teve elevada sua capacidade para 70 mil lugares. Hoje essa capacidade está reduzida à 40.199 torcedores, mas, há muito tempo esse número não é alcançado. A construção na época aumentou o espaço para o torcedor, mas, deixou o estádio com suas linhas diferenciadas. Lembro ao tempo do saudoso Caio Pompeu de Toledo, na época Secretário Municipal de Esportes, quando aventou-se a demolição do estádio. O projeto englobava um estádio moderno que teria em sua parte inferior um shopping e com isso o aproveitamento de uma das áreas mais valorizadas da cidade de São Paulo.

domingo, 19 de junho de 2016

UMA LUZ NO FIM DO TUNEL!



A confirmação de Tite para o comando técnico da Seleção Brasileira foi a melhor coisa feita desde a Copa do Mundo de 2014. O que não se pode é exigir resultados imediatos até porque a Seleção só é reunida as vésperas dos jogos amistosos e oficiais. Tite tem um longo e penoso caminho a percorrer. Espero que ele possa finalmente iniciar a reformulação que precisa ser feita na Seleção. Experiência, conhecimento ele tem porque começou em clubes de menor expressão para subir os degraus. Ele é sem dúvida o melhor treinador de futebol em atividade no Brasil. O que fez desde que retornou ao Corinthians com os desmanches que o clube realizou dão mostras exatas do que ele sabe. Tite precisa do apoio de todos os brasileiros que gostam de futebol. Ele no momento é a última esperança para colocar nosso futebol de volta ao lugar onde esteve por décadas. Agora convenhamos, não vai ser fácil colocar a casa em dia. Boa sorte Tite. É isso aí. 

segunda-feira, 13 de junho de 2016

ESTÁ NA HORA DE APRENDER!



Não bastasse o vexame da Copa de 2014 o nosso futebol nas mãos da CBF continua em baixa. É vexame em cima de vexame. Já não existe mais respeito pelo futebol brasileiro. Os italianos que também não podem falar muito, dizem hoje que o futebol brasileiro acabou. Ainda não acabou, mas do jeito que vai está indo cada vez mais pro fundo do poço. A tal da reformulação pregada após a Copa de 2014 ainda não existe. E da forma que foi feito o encaminhamento vai demorar bastante. O torcedor brasileiro está perdendo o interesse pelo nosso selecionado. A coleção de resultados negativos é um dos fatores, mas não o único. O maior deles é a falta de alguém com “aquilo roxo” pra dar um basta na mediocridade que se instalou. A Seleção Brasileira precisa de mudanças urgentes. Não é só no comando técnico. Tudo precisa mudar. Se for para recuperar a hegemonia que se pense grande, até aceitando a possibilidade de ficar de fora pela primeira vez em um Mundial. Nós clubes está à redenção e a salvação do futebol brasileiro. Trabalhos mais profundos nas bases para revelar jogadores como sempre ocorreu. As providências que precisam ser tomadas já, bem isso é com os clubes e a CBF. É isso aí.